Chegamos ao fim de um ano lectivo surpreendente e único na nossa vida; confinados e condicionados, receosos de um estranho presente e incerto futuro que mais nos limita, conhecemos dias grandes em espaços reduzidos, cheios de novas vivências e vazios de pequenas e significantes coisas que a ausência mais valoriza.


Um tempo de persistente dúvida e incerteza, a cada instante renovadas pela informação – ela própria incerta e, não raro, contraditória, mesmo quando transmitida em nome da Ciência – que permitiu salvaguardar o essencial: a saúde e a educação.
Quatro meses – decerto os mais longos das nossas vidas – que ajudaram a tomarmos consciência do significado e valor da saúde – nossa, de familiares e amigos e de todos os outros, mesmo se fundados em primários instintos de sobrevivência e auto proteção -, mas também do insubstituível papel da educação no que somos e queremos ser.
Preocupados e a todo o instante e de diversos modos bombardeados com desconhecida doença, morte e sobrevivência, cuidámos da saúde e fomos capazes de nos mantermos focados no essencial: sim, o essencial está no que fazemos à vida.

Terminamos o ano lectivo com as adaptações aconselhadas, aprendendo e crescendo como estudantes e como pessoas; de modo geral, os resultados são fantásticos e os processos dignos e coerentes com a nossa missão e objectivos.

A todos, de modo muito especial aos muitos que terminam a licenciatura, deixo uma palavra de felicitação pela conclusão do Curso e pela compreensão e partilha gerados neste afastamento forçado que mais nos aproximou.

E dizer-vos o que bem sabem, mas que dificuldades e incertezas podem questionar: três anos de estudo na área em que aspiram ser profissionais competentes fizeram de vós pessoas diferentes, mas ainda insuficientemente preparadas; pelo prazer no conhecimento e no ambiente acolhedor e estimulante que viveram, mas sobretudo pelo futuro de cada um, estudar, saber mais, seguir para um mestrado após a licenciatura representa o maior investimento e a melhor decisão que podem tomar.

Que a vossa determinação no essencial possa superar eventuais dificuldades.

Um abraço com Saúde, Educação e Desporto
Jorge Proença