Hoje é o primeiro dia de um Encontro há 30 anos iniciado; um começar de novo perseguindo objectivos idênticos com diferentes protagonistas, aperfeiçoando métodos e mais fundada determinação e ambição; um Encontro entre pessoas que têm o privilégio de fazer o que mais gostam: APRENDER. 

Aprender as diversas matérias em disciplinas (UC) organizadas, apreender as conexões entre elas, descobrir novos conhecimentos, identificar contradições, procurar o fundamento para a acção, usar a incessante curiosidade de criança,  conhecermo-nos um pouco melhor e compreender os outros. E, com trabalho, muito trabalho, tornarmo-nos em cada Novo ano melhores Professores e Estudantes.

Em cada aula, em cada reunião, em cada encontro celebraremos 30 anos dedicados à formação de profissionais em Educação Física e Desporto, contribuindo para mais e melhor Educação, Saúde e Desporto em Portugal e no mundo,  onde cada um(a) dos licenciados, mestres e doutorados da Lusófona dignificam e prestigiam a profissão e a Universidade.

As incertezas do momento presente foram e serão superadas convosco; estamos preparados e, com saber de experiência feito, das dificuldades faremos  virtudes.

A continuada grande procura dos nossos Cursos, expressão maior da satisfação de estudantes e famílias e o reconhecimento institucional das entidades empregadoras e avaliadoras mais nos motivam e responsabilizam a prosseguir e aprofundar este permanente e exaltante desafio.

BEM VINDOS!

14 de Setembro de 2020 

 Jorge Proença 

Fonte CNAPEF

Os Professores Luís Bom e João Comédias, docentes na Faculdade de Educação Física e Desporto da Universidade Lusófona participam na 4ª Sessão do Ciclo de Conferências sobre Educação Física e Desporto.

A Educação Física em tempo de pandemia

Estamos em vésperas de iniciar um novo ano escolar, ainda com muitas incertezas, mas decerto melhor preparados para encontrar as respostas mais adequadas a cada situação. Acabamos de ter conhecimento de dois documentos orientadores do Ministério da Educação – Orientações para a Recuperação e Consolidação das Aprendizagens ao Longo de 2020/21 e Propostas para a Realização em Regime Presencial das Aulas Práticas de Educação Física e Desporto Escolar.

Esperando não mais assistir a cenas desprestigiantes – hilariantes ou deprimentes – recentemente propiciadas pelo ensino da Educação Física na TV, gostaria de ver menos orientações e mais responsabilização e respeito pela formação, capacidade e autonomia dos professores, em geral, e dos de Educação Física, em particular; e, caso seja necessário e sentido pelos próprios ou por uma (quase) inexistente supervisão e avaliação, a urgente implementação da tão esquecida formação contínua.

As circunstâncias atuais desafiam-nos a recolocar na agenda, entre outras de que os próprios se encarregarão, algumas novas-velhas questões:

1.Responsabilidade, contributo e soluções do sistema de ensino para a progressiva iliteracia física dos jovens portugueses.

2.Utilização ótima, periodicidade e racional gestão das cargas horárias legalmente atribuídas à Educação Física e Desporto Escolar.

3.Tempo efetivo e natureza da prática de cada aluno em cada aula.

4.Precisar conceções e evitar confusões – tão frequentes, até na literatura especializada – entre Educação Física e Atividade Física.

5.Aprendizagem, interdisciplinaridade, estrutura disciplinar e gestão do currículo.

Trata-se de aproveitar a oportunidade para, fundamentadamente, analisar e procurar encontrar melhores propostas para um dos mais graves problemas da atualidade.

Em tempo de pandemia, tendo a Saúde como prioridade absoluta, tornou-se mais evidente que não há verdadeira Educação sem Educação Física, como eloquentemente demonstra a recente investigação em neurociências e como, há muitos anos, Wallon, Bernstein Leontiev e tantos outros nos ensinaram.

Professor Doutor Jorge Proença
Director da Faculdade de Educação Física e Desporto